Indiretas no Facebook: amar ou odiar?

adorei-a-indireta

Atire a primeira pedra quem nunca teve vontade de lançar uma indireta nas redes sociais!!!!!!

Mas será que isso é certo?

Até muito pouco tempo atrás, as pessoas só sabiam da vida umas das outras quando se encontravam pessoalmente ou quando pegavam o telefone para saber como ia a vida do outro.

Hoje em dia, a vida das pessoas está, digamos, meio que um livro aberto. E isso também abre precedentes para as famosas indiretas ou desabafos na rede.

Sabemos de cada passo que a pessoa dá, o que ela está fazendo, o que está comendo, pra onde viajou, ou que livro está lendo. Com essa falta de privacidade e com o falso anonimato que as redes sociais nos oferecem, muitas pessoas se sentem no direito de criticar os outros para que todo mundo veja.

frase-nao-me-jogue-indiretas

Essa ideia de que jogando as palavras “ao vento” eu posso me defender, dizendo que não era para aquela pessoa, ou a velha máxima, “se a carapuça serviu” criam uma falsa imagem de que a rede social é um lugar onde eu posso depositar todos os meus sentimentos sem me importar com o que os outros pensam de mim, ou o que é pior, sem me preocupar com o sentimento do outro (o que é mais grave ainda).

As tais indiretas, por exemplo. Não tem coisa mais deselegante, nas redes sociais, do que elas.

Quer falar algo pra outra pessoa, converse pessoalmente, olho no olho. Seja assertivo, diga o que incomoda, o que te chateou, mas sem se fazer de vítima, nem para a pessoa, e nem para o mundo que não tem nada a ver com o seu egocentrismo. Seja maduro e procure dialogar para aparar as arestas. Ou então, fique quieto e espere a resposta que o próprio tempo vai te dar. Tem momentos que o melhor a se fazer é ignorar. Há situações que o melhor a se fazer é ficar em silêncio.

mnj0lw

As indiretas, além de criarem mais intriga e gerarem mais desconforto, só servirão para mostrar a todos os seus contatos que você não tem domínio das emoções, que você é ansioso, ou frágil demais, e não tem inteligência emocional para resolver no âmbito pessoal e privado.

Do outro lado temos as pessoas que tem mania de perseguição, achando que toda e qualquer indireta ou frase, ou postagem é pra ela, contra ela. Ora bolas, será que isso não é se fazer de vítima? Talvez seja a hora de parar e refletir sobre esse comportamento.  Afinal, nem sempre o mundo está contra você, isso pode ser insegurança e falta de autoconfiança, baixa autoestima e sentimentos de rejeição, achando que o mundo está te criticando. Isso pode ser uma visão pessimista e errônea das pessoas e da vida.

n4qlzz

Eu sinceramente acredito que vivemos em uma época em que as pessoas estão menos tolerantes e se utilizam das redes sociais, como se elas fossem um escudo que vai protegê-las do que elas querem lançar ao vento para atingir a quem desejam e a quem se sentir ofendido. A ideia de que estamos protegidos pela tela do computador dá uma falsa sensação de anonimato e de proteção, que confere um direito de dizer o que se bem entende sem se preocupar com as consequências. Mas não é bem assim.

O ideal é sempre a conversa. Até porque palavras escritas dão uma interpretação muito pessoal, e nem sempre elas foram ditas da maneira que a pessoa interpretou ou quis interpretar. Acho que lançar indiretas na rede é infantil, imaturo e sinônimo de baixa autoestima, problemas de personalidade e instabilidade emocional.  Porque a pessoa que se expressa dessa forma, é mais vulnerável e parece não ter coragem de enfrentar a realidade e o problema, e assim, ela pode se defender, dizendo que a indireta não era para aquela pessoa.

facebook-imagem-lerdo-messbrasil

Pior ainda se o “destinatário” da indireta não der moral, aí sim, somado a tudo isso que eu citei, vem o sentimento de rejeição, porque sua indireta foi ignorada.

Outra coisa que é bastante deselegante nas redes sociais são aquelas conversas intermináveis, criticando e atacando, pra todo mundo ver… Eu disse PRA TODO MUNDO VER!!!!!! Minha gente, minha gente, roupa suja se lava em casa. Rede social é pra você compartilhar coisas boas, divulgar seu trabalho, atrair clientes, fazer amizades e divulgar conteúdos de interesse geral… Lavação de roupa suja, só em casa (ou na lavanderia, no caso, o consultório de um terapeuta rsrs), e se possível de forma mais educada e civilizada possível.

 

*Kátia Beal – psicóloga

Posted on 15 de Dezembro de 2014, in Limonada and tagged , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: